Notí­cias

Vereadores de Maceió declaram apoio a servidores públicos

Publicado em:

Na última sexta-feira, sindicatos e servidores públicos do Município de Maceió estiveram na sessão da Câmara de Maceió, no Centro da capital, e tiveram o apoio declarado dos vereadores no tocante as reivindicações salariais.

Renilda Barreto, presidente do Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Alagoas (Sineal), usou a tribuna do plenário da Câmara para destacar que a Casa de Tavares Bastos é do povo, e que os parlamentares eleitos pela sociedade têm o dever de apoiar o pleito dos servidores que é legítimo.

“Trabalhamos em condições precárias, mas estamos lá, e somos os grandes heróis, somos nós enfermeiros que conseguimos fazer com que a população seja assistida”. “Saúde, educação e segurança são fundamentais, então nada mais justo do que reajuste os salários, que não tem impacto financeiro que ‘quebre’ com prefeitura alguma”, destacou.

“O prefeito Rui Palmeira vem sem querer negociar, inclusive fiz a solicitação para que seja marcada uma reunião com ele”, avisou a sindicalista.

Os parlamentares fizeram duras críticas a atual gestão do Prefeito Rui Palmeira, sobretudo no que diz respeito à pressão para que os servidores não participem do movimento que é legítimo.

Bom senso foi a palavra de ordem do vereador Sílvio Camelo (PV) aos colegas parlamentares durante a votação na Casa de Tavares Bastos. Ele alertou os vereadores acerca da campanha salarial dos servidores municipais, bem como um projeto de autoria do executivo municipal que dá maior celeridade aos processos para demissão do servidor e aberturas de inquérito administrativo.

Para ele, as questões acima citadas soam como uma intimação da Prefeitura de Maceió no sentido de ameaçar o servidor. O funcionalismo público municipal encontra-se com salários defasados e pede desde o começo deste ano um reajuste de 15,41% referente à perda da inflação de 2015, 2016, 2017 e 2018.

Entretanto, o prefeito Rui Palmeira se limitou a uma proposta de 3%, parcelada com o pagamento de 2% em junho e 1% em outubro, sem pagamentos retroativos. O que foi negado em assembleia unificada.

Uma nova Assembleia Geral está marcada para acontecer no dia 9 de julho e caso até lá a Prefeitura não apresente uma proposta positiva a categoria votará pela greve geral.

A vice-presidente do Sineal, Mônica Lima, frisou que a participação dos enfermeiros do Município de Maceió é fundamental. Pois, a categoria presente fortalece o Movimento. Ela lembrou que todos têm direito a declaração de participação, quando se fizer presente em qualquer Ato Público convocado pelo sindicato.

Fonte: Sineal