Notí­cias

Palestrantes internacionais participam do II CONCE

Publicado em:

É por meio das lutas de vocês do Brasil que acrescentamos às nossas, porque nos espelhamos em outros países para fortalecer as ações dos enfermeiros norte-americanos. Temos muito orgulho em ter a FNE como membro fundador da Global Nurse para melhoria da saúde”, foi assim que a presidente da Califórnia Nurses Association (CNA) e co-presidente da National Nurses United (NNU), Deborah Burger, falou na tarde desta quarta-feira (21) no Palácio das Convenções do Anhembi (SP) sobre “Emprego e Condição de Trabalho e de Vida do Pessoal de Enfermagem: Convenção 149 da Organização Internacional do Trabalho”, no II Congresso Nacional Científico dos Enfermeiros (CONCE).

Entre os pontos abordados por ela estavam: trabalho conjunto dos enfermeiros no intercâmbio de informações do que é feito nos Estados Unidos da América e no Brasil, violência laboral, saúde do enfermeiro, segurança no ambiente laboral diante de riscos de doenças infectocontagiosas – mostrando o exemplo de contaminação de enfermeiras pelo vírus ebola por falta de equipamento adequado de trabalho – e resultados positivos para a enfermagem norte-americana com projetos de lei.

Sobre o CONCE, Deborah Burger disse: “o congresso é importante por trazer tudo o que está sendo feito no aspecto trabalhista da enfermagem em relação à legislação para que essas informações possam ser compartilhadas”.

Assim como a Dra. Deborah Burger, outros palestrantes e debatedores falaram aos congressistas, como o outro palestrante internacional, Dr. Carlos Alberto da Cruz Sequeira, presidente da Sociedade Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental e professor coordenador na Escola Superior de Enfermagem do Porto.

É importante em congressos como este falar como os enfermeiros podem tratar os pacientes e para isso temos que fazer com base em informações científicas. Por isso, trago aqui hoje quais os fatores contribuem para a saúde mental e como os enfermeiros podem melhorar sua qualidade de vida, fazendo um diagnostico da situação”, disse Sequeira.

Saúde do Enfermeiro

Simultaneamente ocorreram as palestras “A participação do enfermeiro na construção de políticas de saúde”, com a Dra. Andrea Alves Soerensen; “Tratamentos quimioterápicos e as suas implicações na saúde do profissional”, ministrado pela Dra. Lailah Maria Pinto Nunes; “Resgatando a importância social do enfermeiro”, tendo como palestrante a Dra. Ana Cristina de Sá; “Saúde mental dos profissionais de enfermagem”, focado no empoderamento da categoria frente à carga de trabalho e sofrimento que os profissionais levam durante o período laboral.

Nós já temos o congresso brasileiro de enfermagem que é um ganho e hoje o CONCE traz uma visão sindical e de associações muito importante para nós enfermeiros, porque mostra a nossa força política”, relatou a Dra. Márcia Aparecida Ferreira de Oliveira.

Ainda sobre a realização do Congresso, Dra. Maria Angélica Gianini Guglielmi, preletora da palestra “Mapa de Risco: diagnosticando os riscos existentes nos setores de atuação da enfermagem” completou: “Este congresso está com uma temática científica de altíssimo grau. A comissão organizadora foi extremamente feliz nos termos que eles estão propondo. O CONCE faz a enfermagem crescer e nós estamos precisando de mais eventos como este. Nós fazemos as coisas empiricamente e precisamos de bases científicas para conseguir força e corpo dentro da equipe de saúde”, reforçou a palestrante.

Para os congressistas, o evento tem levantado questões pertinentes que precisam de amplo debate como: a qualidade de vida, saúde do enfermeiro, riscos no ambiente de trabalho, direitos trabalhistas do profissional da enfermagem, mercado de trabalho e políticas públicas de saúde.

A importância de palestras como, por exemplo, a da Dra. Deborah Burger, está em levantar a questão que nós brasileiros temos que nos organizar quando vivenciamos uma realidade de risco por doenças infectocontagiosas em nossa profissão. Tivemos um caso de atendimento no Brasil de ebola que foi no Emilio Ribas e, certamente, se ocorresse no serviço público não estaríamos equipados adequadamente”, disse a congressista Fabiana Estimo Gonçalves, enfermeira há 19 anos que trabalha em Unidade de Saúde da Família em São Paulo.

Com isso encerrou-se o segundo dia do Congresso Nacional Científico dos Enfermeiros. O evento prossegue até sexta-feira (23).

_mg_4424 _mg_4428